A Ciência poderá ser a nova religião do Governo Mundial da Besta?

A Ciência poderá ser a nova religião do Governo Mundial da Besta? ( Parte 1 )
Estamos numa encruzilhada da História, nunca antes vista na Humanidade.
O livro mais lido do mundo, A Bíblia, relata situações inacreditáveis, algumas que devem ser bem pensadas.

Como muitas das descrições são contraditórias, a maioria das pessoas, bem-pensantes, resolveram as contradições considerando tudo um lixo, digno de superstições dos primórdios da Civilização? Mas será só isso?

Será que aquelas histórias arcaicas do Velho Testamento são descrição de alucinações dos profetas? Ou haverá mesmo um Deus físico que chamava de viva voz o Adão no Jardim do Éden?
A verdade é que a Bíblia relata que Deus foi visto por muitos homens e que falava cara a cara com Moisés. A Bíblia também relata que os filhos de Deus ( Eloim, deuses, no original) tiveram relações com as filhas dos homens (mulheres) daí resultando os Nefilins, híbridos, de grande estatura. Deus e os deuses eram, portanto, seres físicos, materiais.

Se os cristãos tivessem seguido apenas os ensinamentos de Cristo e não se tivessem misturado com o Judaísmo e o paganismo, tudo teria sido diferente. Hoje, a Bíblia cristã não conteria os livros judaicos, com relatos de horror extremo, ao ponto de os teólogos terem de desdizer o que está escrito, tal é a loucura descrita. A verdade é que a Igreja Católica nasceu no Concílio de Niceia, onde foi aprovada a actual Bíblia cristã, embora com algumas alterações posteriores.

Não vou aqui tomar partido pela verdade ou falsidade da Bíblia, limitando-me a relatar várias passagens para pensar e relacionar com a actualidade. Obviamente, cada um, perante o que observa, tirará as suas conclusões.

Que o Mundo sempre foi esquisito, é um facto. Mas agora parece estar esquisito demais. Vou tentar relacionar o passado com o presente para ver os grandes pontos de contacto.
Tudo o que vou apresentar tem por finalidade perceber o momento actual onde está planeado, para breve, um grande Reset Mundial onde o Mundo será transmutado, onde o Capitalismo será transmutado no mais perverso Comunismo, jamais previsto por Marx, Engels ou Lenin.
O Comunismo que aí vem começa com a premissa: você não vai ter nada, mas será muito feliz. Portanto, haverá uma Elite Mundial que dominará tudo e todos, os meios de produção e os trabalhadores. Eles ficarão com tudo, os outros ficarão sem nada, mas serão muito felizes. Percebam desde já o descaramento desta gente e os  seus objectivos,
Para alguns que me leem, talvez pensem que eu sou de direita e defensor do capitalismo, o que nunca fui, desde os meus 17 anos de idade. O que observo é que são os maiores expoentes do Capitalismo que querem este tipo de Comunismo, que nem Lenin aprovaria. Então, há que desconfiar.

O que é que está na forja para que os maiores capitalistas se tenham transformado no topo do altruísmo? Não vamos julgar ninguém, mas que é esquisito, lá isso é.

A esquisitice actual vai ao ponto de se pretender que a Ciência possa ser imposta como verdade, sem direito a opinião, sem direito a rejeição, tal como uma religião fanática e fundamentalista, sob pena de punição, uma nova Inquisição.

Já escrevi um artigo sobre um colega meu, especialista de Saúde Pública, que clamava por legislação punitiva para castigar aqueles que discordassem da Ciência. É fácil perceber que ele reflectia o pensamento dos seus pares, de Saúde Pública.

Mas há outros dados concretos: vários Médicos e Médicas estão a ser alvo de processos disciplinares sem motivo algum válido, só por quererem fazer Medicina conforme as regras que aprenderam, duvidando da metodologia seguida actualmente, onde um teste de rigor duvidoso passou a fazer diagnósticos, à revelia do que aprendemos durante a nossa formação médica, onde aprendemos que o diagnóstico é feito por médicos, após anamnese e observação do doente, recorrendo e analisando os exames complementares de diagnóstico.

 Algo de perverso se passa neste moderno método científico em que um teste, criado para outras situações, mas adaptado ad hoc, passou a fazer diagnósticos. Mais tarde, tentou dizer-se que não era bem assim, mas era tarde.

Quando um Médico duvida da validade científica ou ética de uma vacina criada à pressa, sem os passos indispensáveis para ser considerada segura, e é alvo de processo disciplinar, intimidatório, para mostrar poder (poder mórbido!), de carácter religioso, fanático, inquisitivo, anticientífico e antiético porque em Ciência temos mesmo que duvidar de tudo o que nos parecer duvidoso. A dúvida é obrigatória no Método científico; portanto, punir por exercer uma conduta científica é um acto de malvadez, criminoso. Mas o Poder… pode considerar-se acima de qualquer Ética … porque se considera vindo de Deus.

Ontem à noite, 14.03.2021 ainda o Infarmed considerava segura a vacina da Astra Zéneca, apesar de vários países europeus a terem suspendido. Hoje, perante a atitude da Alemanha e França, já mudaram, para se colarem ao poder. É feio raciocinar com a cabeça dos poderosos.
A Bíblia, pela voz de Paulo, diz que toda a autoridade vem de Deus. Leiamos Romanos 13:1-2    Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas.
Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos.

Não se trata de algumas autoridades, mas toda a autoridade vem de Deus. Fica claro de onde veio o Nazismo e todas as ditaduras, todas as guerras, toda a miséria. Está escrito que tudo veio de Deus. Teremos sucessivas comprovações de que assim é ao longo da exposição. Comecemos a ligar os elos.

Aceitar pela fé cega uma prática médica nova, criada à pressa, sem validação mínima dos seus pares, é um atentado à medicina, tal como a estudámos. Colocar em prática formas esquisitas em nome da Ciência, só porque se sente poder para o fazer, é algo de esquisito, estranho à democracia, estranho à ciência, estranho à boa prática médica.

Será boa política acabar com o vírus pelo alto preço de destruir a Economia e originar uma catástrofe de fome e miséria?

Já não posso pensar? Já não posso duvidar? Será que uma transmutação genética da Humanidade está em marcha, para nos tornar sem vontade e sem Razão? Será que esta gente quer agir rapidamente para apanhar a Humanidade de surpresa, sem tempo para pensar e reagir? Admito que seja este o motivo.


Parece que a nova revolução vai ser uma transmutação genética, da qual, se for concretizada, não vai haver volta.

Qual a pressa de vacinar massivamente, se há um medicamento altamente eficaz para a COVID? Não é cientifico, dirão. E a vacina feita à pressa, que não tem características de vacina porque, numa primeira fase, em vez de anticorpos fisiológicos, cria proteínas antigénicas, patológicas, não fisiológicas, contra as quais o Sistema Imunitário tem de reagir novamente?

As Farmacêuticas dizem que têm provas. Mas onde estão as provas suficientes, se não houve tempo suficiente para as produzir e apresentar? Muitos dos efeitos maléficos podem só surgir anos depois. Como médico, não posso duvidar de tão grande pressa, tanto mais que há tratamento da doença?

Sob o ponto de vista humano, a situação é impensável.

É por isso que eu admito a existência de forças exteriores em acção, para explicar esta anormalidade que vivemos.

Mas então, são só os Médicos e farmacêuticos, (e só alguns, sem contraditório!) a decidir sobre a Pandemia? O resto das pessoas não têm nada a ver com isto?
Num País democrático os Cientistas e Médicos apresentariam os seus diagnósticos, prognósticos e eventuais soluções, a partir do que a sociedade civil teria de decidir. Haveria muitos mortos e não pode ser, dirão. Pois, e assim não há muitos mortos? A destruição económica que vai matar pela fome e miséria, tem pouca importância? Vamos acabar com o vírus, matando a Humanidade?
Se se quer solucionar a pandemia, porque não usar a Ivermectina com provas dadas? Não está provada? E uma vacina feita à pressa, está provada? Alguém sabe o resultado das vacinas?

Ontem uma vacina ainda era boa em Portugal. Algumas horas depois, já há dúvidas. É esta a nova Ciência e a nova Medicina que nos querem impor?
Ah! A Ciência está sempre a mudar! Mas, em cada momento, temos de aceitar dogmaticamente a Ciência, mesmo que seja um embuste disfarçado de Ciência? É isso? É preciso calar os Médicos sob pena de Processos disciplinares e suspensões, quando um Médico duvidar daquilo que é, claramente, duvidoso?

Pois, o que é preciso é esconder a situação para que, quando os problemas surgirem se possa dizer: o mal que foi feito era a verdade científica da época, pelo que tudo foi feito com a melhor das intenções. E de boas intenções…  

Há muitos anos que eu falo que a Medicina vai falir. Porquê? Porque a Medicina tem capacidade de fazer melhor, muito melhor e de forma mais barata, mas certas forças não o permitem. Querem resolver o problema? Deixem os Médicos exercer a sua Arte científica e logo vão ver.
Pois, mas não podem fazer nada fora da Ciência! E só é científico o que for aceite como tal num determinado País. Então, se a Ciência é soberana, até sobre a Razão humana, que a criou, este mundo entrou em autodestruição. A Ciência é muito importante, mas acima dela está a Razão e a Ética.

Não se pode ser tão parvo ao ponto de querer transformar a Ciência, um conhecimento e um conceito criado pela Razão humana, num Poder sobre o próprio Homem e sua Razão, que a criaram.

É como se um cientista pusesse uma máquina a girar e perdesse o controle sobre ela, sendo esmagado por engenho que construiu, sem ter capacidade de o controlar.
É isto que está a acontecer na Ciência louca da actualidade. Há quem queira colocar a Ciência fora do controle da Razão e da ética, para criar o caos. É a minha visão do mundo neste momento.  
Portanto, ser científico é algo que depende das autoridades de cada País. O que é científico aqui, não o é ali. E o que é bom para uns pode ser mau para outros. O bem dum trafulha é mau para a Sociedade. O bem de um gatuno é mau para o assaltado. Este mundo está baseado em polaridades, por vezes, antagónicas.

Se não existir força para reverter a loucura actual, o tal grande Reset vem aí, e em alta velocidade. Quando surgir o tal Governo Mundial, ele decretará o que é ou não é científico e ético.
Um chip em cada um e está tudo resolvido. Depois, não volta.

É por isso que tudo está apontado à destruição da capacidade de pensar e perceber o embuste do que observamos. Nada está decidido. Tudo depende da consciencialização das pessoas.
Definir o que é ou não é científico é bem complexo, porque depende de várias forças e dos diversos interesses instalados. Cuidado com a Ciência, porque Ciência é um Saber e um Poder. E pode ser um Poder muito mau.

A nível humano, só a Razão deve decidir. Talvez por isso, as forças destrutivas queiram aniquilar a Razão, para usar a Ciência e produzir o caos, a destruição. Mais à frente, verá como o Deus deste Mundo actua: é desta forma. Eu apresento as frases bíblicas, comprovativas do que digo.
Grande parte da prática clínica não é científica e funciona muito bem, porque a Medicina não é uma ciência nem uma mistura de ciências, mas apenas uma arte científica. Eu e outros médicos resolvemos várias situações sem suporte científico, baseados na experiência clínica. Para os verdadeiros médicos, nenhuma Ciência supera a sua Prática Clínica, porque um acto médico feito com convicção, alicerçado na experiência, predispõe o doente para a cura de forma mais rápida e eficiente do que uma prática científica sem arte, sem alma, sem psiquismo. Os Médicos estão a ser ultrapassados pela Ciência, que os quer dominar.

Se pensam que a Ciência é o fundamento de tudo, acabem com os Médicos e ponham os cientistas a tratar os doentes. Seria e será a tragédia total. Porquê? Porque o cientista não tem arte e sensibilidade médica. O acto médico é, principalmente, uma acto psíquico que se transmite ao doente e só depois é um acto técnico. Claro que a Ciência e a técnica são necessárias, mas são insuficientes. É o calor humano que primeiramente actua no Inconsciente e no Sistema Imunitário do doente, para desencadear a cura. Sugestão, dirão alguns. Os médicos chamam-lhe relação médico-doente.

Ninguém de bom Senso tira o valor da Ciência. Mas é o Médico que escolhe e decide qual a Ciência a aplicar, jamais os cientistas.

Eu sou um defensor intransigente da boa Ciência e é por isso que me revolto contra aqueles que se servem da Ciência para a aviltar, tentando impor a má Ciência como se fosse boa.
A Ciência é apenas um conhecimento enquadrado no Método Cartesiano. Modernamente, nem isso, mas não vou falar nisso.

Só há Ciência quando há dúvida porque o que é aceite sem dúvida é apenas fé. Por isso, a Ciência está sempre a mudar e evoluir. É totalmente legitimo duvidar da Ciência porque o Método científico assim o determina; e também é legítimo recusá-la porque nem toda a Ciência é boa. Há muita Ciência do Mal, que deve ser combatida.

Mas tudo aponta para que a Ciência, mais concretamente, a má Ciência, se esteja a transmutar numa Religião Sectária, para destruir a Humanidade.


Daniel Matos

daniel